ss

A falsificação de medicamentos é um perigo para a saúde no Brasil. Por isso, quando comprar um produto, certifique-se sempre de sua idoneidade, observando suas características físicas – formato e cor do comprimido, gosto do líquido e embalagem. Em muitos casos, o falsificador não consegue copiar todos os detalhes.

Não perca a calma. Na dúvida, se o medicamento sempre foi eficaz e de repente parece inócuo, entre em contato com seu médico. Às vezes a introdução de outras medicações em paralelo pode alterar a eficácia do medicamento. Siga as dicas abaixo:

1) Suspeite de mudanças no formato e aspecto – tamanho ou cor das cápsulas, por exemplo. Em caso de medicamentos líquidos, fique atento ao cheiro, cor e sabor;

2) Nem sempre os números que codificam o lote e a validade são idênticos nas embalagens externa e interna da medicação. Muitas vezes, por uma questão de espaço, essas informações são resumidas. Por isso, em caso de dúvida, entre em contato com a central de atendimento a clientes;

3) Os laboratórios costumam imprimir numerações em baixo-relevo. Os falsificadores, invariavelmente, tiram cópia da embalagem verdadeira e não conseguem reproduzir o efeito de baixo-relevo;

4) Verifique se há alteração no tipo de letra e no texto da embalagem ou da bula. Fique alerta para os erros de português;

5) Cuidado com promoções ou liquidações: no setor farmacêutico é quase impossível baixar os custos de produção. Ou seja, produto muito barato pode ser sinônimo de roubo ou falsificação;

6) Nunca deixe o medicamento indicado no receituário ser trocado na hora da compra. Somente o médico pode autorizar a troca de um medicamento por outro;

7) Em caso de dúvida, entre em contato com o fabricante do medicamento. Os laboratórios idôneos fornecem o telefone e outros contatos da central de atendimento a clientes.