ss

O que é

A caspa, também conhecida como pitiríase simples, é uma descamação esbranquiçada do tecido do couro cabeludo. Sua incidência é maior durante o inverno e entre os 20 e os 50 anos de idade, mas não se pode descuidar do problema no resto do ano e em outras idades. A predominância do problema nessa faixa etária se deve à produção de hormônios androgênicos que aumentam a atividade das glândulas sebáceas.

Suas causas são problemas emocionais, stress, doenças diversas, disfunções hormonais, alimentação desequilibrada, hábitos de vida inadequados, fatores ambientais e até climáticos.

Embora seja bastante comum, se não tratada, a caspa pode progredir gradualmente até se tornar uma dermatite seborreica com inflamação e lesões avermelhadas, o que causa a coceira.

A caspa não é uma doença contagiosa e a evolução é cíclica, com períodos de melhora e piora, mas tenha sempre o seu próprio pente, para manter a saúde de seus cabelos. O uso de pentes emprestados pode trazer outros problemas como micoses e piolhos.

Sintomas

Há descamação e oleosidade excessiva que aparece no couro cabeludo, formando crostas de aspectos e cheiro desagradável e que coça. Essas escamas podem ser secas e aderidas ao couro cabeludo. Para que se tenha caspa é preciso que se tenha tendência, ou seja, certa predisposição.

Uma manifestação bastante precoce de caspa é a crosta láctea do recém-nascido, que são aquelas escamas, formando crostas bastante aderentes que se observa em alguns bebês.

Muitas pessoas com caspa evitam lavar a cabeça com medo de que os cabelos caiam, ficando assim com os cabelos empastados, o que agrava ainda mais o quadro. Quando não tratada a tempo, a caspa pode levar à calvície, tanto em homens como em mulheres, portanto não só a hereditariedade influi no surgimento da calvície como se pensava, sendo a caspa uma delas.

Saiba Mais

Uma das questões básicas de quem tem caspa é reforçar ainda mais a higiene e cuidados. Como a higienização é fundamental, as pessoas devem lavar periodicamente os cabelos.

A lavagem contribui para remoção de agentes poluidores como poeiras, resíduos industriais, além disso, elimina a oleosidade excessiva. Um mito que precisa ser desfeito é que lavar a cabeça todo dia causa a queda de fios. Uma inverdade, pois a lavagem dos cabelos pode apenas eliminar os que iam cair de qualquer forma.

Outro reforço importante para os portadores da caspa é tentar centrar a alimentação em uma dieta mais saudável. Portanto, adquirir hábitos alimentares saudáveis não melhora somente o problema da caspa, mas também ajuda em uma série de outros problemas que estão relacionados com a dieta alimentar, como por exemplo, o excesso de peso, colesterol alto, entre outros.

Assim, incluir frutas, legumes, alimentos proteicos e evitar o uso de gorduras animais e açucares em excesso, ajuda o corpo a se tornar mais saudável e contribuem para a melhoria do problema. Uma alimentação equilibrada é uma grande aliada, pois a caspa também tem relação com desnutrição e distúrbios digestivos.

Com relação às bebidas alcoólicas, vários estudiosos sobre o assunto alertam que o álcool inibe a atividade de algumas vitaminas do complexo B, que agem no folículo piloso, ou seja, na raiz dos cabelos, causando desequilíbrio das glândulas sebáceas. É nessa região que passam a funcionar mais gerando a hipersecreção sebácea, que se deposita na superfície do couro cabeludo, formando a caspa.

Outro grande vilão é o stress. Se não for possível evitar pelo ao menos tente combater as situações de stress crônico, ou seja, o excesso de tensão procurando relaxar.

A tensão nervosa age de forma extremamente negativa, o que pode levar ao aparecimento de distúrbios gastrintestinais, cardiovasculares, psíquicos, além de provocar uma baixa das defesas do sistema imunológico, como também provocar uma série de problemas dermatológicos, entre eles, a caspa.

Se você quiser ficar livre deste incômodo, a melhor receita é procurar orientação de um médico. Discutir o problema e cuidar só vai contribuir para a melhoria do problema.

Para ativar a circulação no couro cabeludo a massagem capilar é uma opção. Fazer uma automassagem com as mãos pressionando o couro cabeludo com a ponta dos dedos é importante. Não custa nada gastar uns cinco minutos todos os dias para desenvolver este hábito. A ativação da circulação no couro cabeludo pode ajudar bastante, além de funcionar como uma técnica de relaxamento.

Como saúde e automedicação não combinam, buscar a orientação de um especialista - no caso um dermatologista é sempre o melhor caminho.

Fontes: Editoria Médica e Bibliomed