ss

Dúvidas frequentes sobre as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) na forma de perguntas e respostas. Leia com atenção e procure um médico caso permaneça alguma dúvida.

O que é IST? 

A sigla IST significa Infecção Sexualmente Transmissível; o termo passou a ser adotado pelo Ministério da Saúde em substituição à expressão Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), porque destaca a possibilidade de uma pessoa ter e transmitir uma infecção, mesmo sem sinais e sintomas. São alguns exemplos de IST: herpes genital, sífilis, gonorreia, infecção pelo HIV, infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV), hepatites virais B e C.

O que causa as ISTs? 

ISTs são causadas por vírus, bactérias, outros microrganismos ou parasitas. Os vírus são causadores de grande parte das ISTs, como verrugas genitais, herpes genital, hepatite B e infecção pelo HIV. As bactérias causam doenças como gonorréia, clamídia, cancro mole e sífilis. Escabiose (sarna), tricomoníase e piolho púbico (chato) são causados por parasitas.

IST tem cura? 

A maioria das IST são tratáveis e têm cura. O tratamento das pessoas com IST melhora a qualidade de vida e interrompe a cadeia de transmissão dessas infecções.
Algumas ISTs, se não tratadas rapidamente, podem causar danos aos órgãos reprodutores, levando à esterilidade (incapacidade de gerar filhos), em homens e mulheres; podem também predispor ao câncer ( como o vírus HPV que é a principal causa de câncer de colo do útero na mulher), causar lesões no coração e cérebro, e em alguns casos até a morte.

Como são transmitidas as ISTs? 

São transmitidas por meio de relação sexual anal, vaginal e oral. Podem ser transmitidas a partir do momento em que a pessoa se infecta e até mesmo depois que inicia o tratamento, ou seja, mesmo não apresentando nenhum sintoma ou sinal você pode estar transmitindo IST.
A transmissão de uma IST pode acontecer, ainda, da mãe para a criança durante a gestação, o parto ou a amamentação.

Existem outras formas de transmissão das ISTs? 

ISTs são transmitidas principalmente pela via sexual. Todavia, existem ISTs como a sífilis, a hepatite B e o HIV que podem ser transmitidas por sangue infectado e da mulher grávida infectada para o filho (durante a gestação, parto ou pela amamentação).
Como identificar a IST? 
Uma secreção anormal do pênis, ânus ou da vagina, sensação de ardência ao urinar, bolhas, úlceras ou verrugas nos genitais, dor na região pélvica ou abdominal, dor durante a relação sexual, são possíveis sintomas de IST. Os sinais podem surgir também em outra parte do corpo (ex.: palma das mãos, olhos, língua). Procure um médico caso apresente algum dos sintomas citados. Algumas infecções não apresentam sintomas e são detectadas através da consulta de rotina com o médico; como a infecção pelo HPV na mulher (detectada pelo exame preventivo / Papanicolau).

Como agir em caso de suspeita de IST? 

Tente evitar a atividade sexual ou pelo menos usar camisinhas em todas as relações, a fim de diminuir os riscos de transmissão. E procure imediatamente o seu médico para diagnóstico e tratamento adequados.

Que relação existe entre Infecções Sexualmente transmissíveis (IST) e o HIV? 

A presença de uma IST aumenta o risco de se contrair e transmitir o HIV. Isto ocorre por causa de feridas e de inflamações nas mucosas e pele dos genitais, que acontecem com frequência nas ISTs. Por isso, um portador de IST deve estar consciente de que se mantiver relações sexuais sem proteção, está se expondo a um risco maior de contrair o HIV.

Se eu tiver uma IST, devo alertar meu parceiro(a)? 

Sim. Para interromper a transmissão dessas infecções e evitar a reinfecção, é fundamental que as parcerias também sejam testadas e tratadas, com orientação de um profissional de saúde.É importante, para ambos,  a informação sobre as formas de contágio, o risco de infecção, a necessidade de atendimento em uma unidade de saúde, as medidas de prevenção e tratamento (ex.: relação sexual com uso de camisinha masculina ou feminina até que a parceria seja tratada e orientada).

Quem são os “portadores assintomáticos”? 

“Portador assintomático” é a pessoa que foi infectada e não apresenta manifestações da doença. Os “portadores assintomáticos” são, em grande parte, os principais transmissores das IST, pois não percebendo que estão infectados não procuram tratamento e nem tomam provicências para evitar o contágio dos parceiros.

Quais são as consequências das ISTs não tratadas adequadamente? 

As ISTs podem trazer graves consequências à saúde do homem, da mulher e até dos bebês. Câncer de colo de útero, cegueira, doenças neurológicas, deformidades ósseas em bebês, surdez e retardamento mental são algumas das complicações.
Como prevenir as ISTs? 
Procure negociar e utilizar corretamente a camisinha (masculina ou feminina) em relações sexuais penetrativas. Não compartilhar seringas e agulhas e caso seja usuário de drogas injetáveis, utilize somente seringas limpas.

REFERÊNCIAS

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Disponível em: http://www.aids.gov.br/. Acesso em Outubro/2017.