ss

O Aché e a Biosintética dispõem de uma gestão ambiental planejada e executada com base nas normas ISO 14001 e OHSAS 18001, referências internacionais para o controle de processos, de qualidade e de eficiência na gestão de impactos e indicadores. A Companhia foi a primeira do setor farmacêutico a obter essas certificações no Brasil.

 

Outro aspecto importante é a Política de Segurança do Trabalho, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente (Sesma), na qual o Aché expõe seu compromisso com a preservação ambiental, saúde ocupacional, segurança e com o treinamento e formação de seus colaboradores, adotando atitudes responsáveis, seguras e com o menor impacto possível. 

 

Desde 2000, há gestão de seus resíduos. Esse é um trabalho de conscientização permanente que envolve todos os colaboradores da Empresa. Os processos são voltados para focos específicos:

·        Estação de tratamento de efluente: tratamento eficiente de água residual de processo industrial antes da destinação para rede coletora.

·        Incineração de resíduos: processo de destruição térmica de resíduos perigosos oriundos de processo farmacêutico, realizado sob alta temperatura, garantindo assim a redução do volume do resíduo, peso e característica de periculosidade.  

·        Coprocessamento de resíduos: é um tratamento final ambientalmente correto, que utiliza fornos de cimento, aproveitando a energia contida nos materiais (resíduos) com poder calorífico específico, por meio da substituição das matérias-primas e operação regulamentada.

·         Compostagem: técnica aplicada para controlar a decomposição de materiais orgânicos, com a finalidade de obter um material estável, rico em húmus e nutrientes minerais (com atributo físico, químico e biológico). Esse processo possibilita diminuir a quantidade de lixo destinado aos aterros.  O volume tratado em 2016 foi de 60 toneladas. 

·        De olho no óleo: programa desenvolvido em parceria com o Instituto Triângulo, voltado ao recolhimento de óleo de cozinha, que passa a ser utilizado para produzir sabão artesanal de uso doméstico. Para isso, são disponibilizados coletores nas plantas de Guarulhos e Nações Unidas. 1603 litros de óleo foram arrecadados em 2016.

·         Papa Pilhas: coletores distribuídos nas plantas Guarulhos e Nações Unidas para descarte correto de pilhas e baterias, evitando que estes resíduos sejam deixados em lixões e causem poluição ao solo e ao lençol freático. 

·         Tratamento de Lâmpadas: processo de descontaminação e reciclagem das lâmpadas, separando os terminais e todos seus componentes. Garantindo a integridade do meio ambiente baseado em operação regulamentada.

·         Projeto Funap: realizado em conjunto com a FUNAP - Fundação “Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel”, desde 2012, oferece oportunidade de trabalho à população carcerária, por meio de atividade de operação, separação e tratamento de resíduos orgânicos, transformando-os em subprodutos para compostagem.

·         Reuso da água: A água descartada em processos internos é tratada e reutilizada no resfriamento de lajes e na jardinagem, entre outros fins. Está em estudo um projeto para reutilizar o recurso, também, em sanitários.